quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Lei obriga Livrarias em Pernambuco a ter cota mínima de autores pernambucanos

Notícia reproduzida, aqui via café Colombo, valoriza autores pernambucanos, o que é de suma importância, face ao imperialismo dos grupos livreiros do país, caso da Siciliano que não segue tais regras.
É necessário democratizar o conhecimento, a literatura, sem privilégios de editoras e grupos de varejo livreiro.
Minha experiência ao visitar cidades, no Brasil, demonstra que há um preconceito pelo autor local, regional, o que determina um falso nacionalismo, e álibis de vender os melhores .
O mundo editorial ditam os melhores peo marketing cultural em demanda em mídias impressas, caso da Veja, da última semana que divulga em capa a bra do adre Marcelo Rossi.
Afora isto,as próprias livrarias recusam nomes regionais em gêneros diversificados como prosa, poesia conto etc...
Paulo Vasconcelos


Cota para livro local?
Pois é amigos. É cota disso e daquilo. Pois agora, o Recife, por iniciativa dos vereadores (que, pelo que eu fiz de coberturas lá, não são de muitas leituras. Embora há excessões, incluindo o próprio autor da lei e a vereadora Priscila Krause) possui uma lei que obriga as livrarias a possuírem uma cota de autores pernambucanos e nordestinos!

Como diz o texto de divulgação da assessoria de Daniel Coelho (PV):


A Lei nasceu de uma parceria entre o Movimento em Defesa do Livro Pernambucanos, liderado pelo escritor e professor Jacques Rimbeboim; a Academia Pernambucana de Letras, através do presidente Valdênio Porto; o Presidente da União Brasileira dos Escritores – Seccional Pernambuco, Vital Correia; e o Vereador Daniel Coelho (PV).

O Projeto de Lei, elaborado por Daniel Coelho, levou dois anos para ser definitivamente transformado em Lei. No início, a proposta foi aprovada por unanimidade na esfera legislativa. Ao chegar nas mãos do prefeito, no entanto, a matéria foi vetada. Mesmo assim, a Câmara manteve seu posicionamento inicial e derrubou o veto enviado pelo prefeito, nesta terça-feira (28). Assim, a matéria foi transformada em Lei.

A Lei estabelece que as livrarias terão que destinar 5% da totalidade de seus títulos para autores pernambucanos (2,5%) e nordestinos (2,5%). Com isso, os escritores terão melhores condições para exibir seus trabalhos. Além disso, a população terá mais acesso a toda a riqueza de nossa cultura literária.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

O CASARÃO DAS ROSAS PERDE SUA VIZINHA

Na surdina dos feriados,o capital imobiliário paulista destruiu a história de São Paulo . A casa entre a casa das Rosas e o Sesc foi abaixo,ninguém viu, ninguém percebeu,mas a avenida ficou mais nua. A história foi faqueada e o poder do capital subirá em Torres . Este é o destino de uma cidade que tem o prefeito omisso a história. Cai por terra mais um pedaço da cidade, o capital ,como sempre,vence! Caiu, ninguém viu ninguém chorou mas era carnaval!!!!!!!!!!

domingo, 19 de fevereiro de 2012

CARNAMÍDIA























Neste número recente da Revista Brasileiros tratei na coluna Palavra de Brasileiros da Mídia e o Carnaval.Um Carnaval espetáculo que tomou o lugar do carnaval popular participativo, como ainda ocorre em Olinda, Recife, Santa Catarina, dos centros maiores, entre outros, afora claro cidade como São Luis do Paraitinga-SP e o interior de Minas, por exemplo.
Mas o que a mídia Televisiva faz é discorrer sobre os carnavais espetacularizados tipo broduei em que é algo fechado, pago, e puro espetáculo para as redes venderem mundo afora.
Neste Carnaval , do Rio, destacadamente, o tema primordial foram estados do Nordeste e figuras da Cultura popular de lá, mas isto é desculpa para mostrar um lado popular,enquanto tema, mas que não resgata a participação popular, ou seja, o povo não entra em passarela, é negócio .
De modo diferente, temos O Galo da Madrugada(REC PE) e O Cordão do Bola Preta,(RJ) aonde o povo esta nas ruas e não se paga, onde o espetáculo é a massa .

A mídia tenta nos enganar com esta espetacularização.
Por outro lado há os que não curtem o Carnaval e descem para o litoral, ou interior como dizemos paulistas; e os que aqui ficam não tem opção de ter eventos.
O estado do Ceará, e Pernambuco preparou eventos paralelos em música nas regiões serranas do estado para atrair um público que não quer o carnaval estereotipado.

No Ceará, no carnaval, o jazz e o blues vão compor a trilha sonora de milhares de pessoas em Guaramiranga, no Ceará. Distante cerca de 123 km de Fortaleza, a cidade serrana está localizada sobre o maciço de Baturité, a 865 metros de altitude.
Ravi Coltrane (EUA) se apresentará com Gadi Lehavi (Israel) | foto: John Rogers
Em sua 13ª edição, o Festival Jazz & Blues de Guaramiranga, no Ceará, divulgou as atrações de 2012. Durante quatro dias (de 18 a 21/02), Guaramiranga vai receber músicos de Cuba, Israel, Estados Unidos, Bélgica, Argentina e Brasil, que se apresentarão nos palcos e praças da pequena cidade cearense. A organização do evento prevê um público de 12 mil pessoas durante o período momino.(http://bit.ly/bUHtqH)
Em Pernambuco, Garanhuns faz Jazz Festival com figuras tais como: Stéban Sumar (Chile), Tico Santa Cruz (RJ) e Andreas Kisser (SP), com Uptown Band (PE), Magic Slim (EUA), com Blues Special Band (Argentina) e Big Time Orchestra (PR).
Temos ai uma cultura mesclada, que atende a população, será que São Paulo, não desce do seu altar mor e copia as coisas boas do Nordeste , afinal tudo é Brasil.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

O Norte e o Diário da Borborema fecham as portas definitivamente

Minha cidade Campina Grande involuntária, e o sr José Carlos faz descaso como campinense e empreendedor, Iinveste na capital c,ordenado atrás. Do lucro certo.






Publicado por Tião Lucena em 01.02.2012






Informo com pesar que o Jornal O Norte de João Pessoa fechou suas portas. Ele e seu filho mais pobre, o Diário da Borborema de Campina Grande. Os dois jornais, que nos tempos áureos foram os mais lidos da Paraíba, começaram a definhar depois da queda de Marcone Góes e da chegada dos gringos de Pernambuco. Esses começaram demitindo os jornalistas da Paraíba. Depois diminuiram o tamanho dos periódicos, transformando-os em tablóides. O golpe de misericórdia foi desferido hoje. Até o portal O Norte on line já saiu do ar. Quinhentas pessoas estão sem empregos. Melhor seria com Marcone Góes e suas trapalhadas. Pelo menos ele manteve os dois jornais funcionando. Nossos pêsames a todos os companheiros que um dia se orgulharam de pertencer aos quadros desses dois órgãos de comunicação. E nossa solidariedade aos que estão aqui e aos que se foram como Juarez da policial, Cecilio Batista, Pedro Moreira, Abelardo Jurema e tantos outros que um dia bri lharam na imprensa paraibana através das páginas de O Norte.

---

 

Fonte: http://www.blogdotiaolucena.com.br/